Templates by BIGtheme NET

Megaoperação de Forças Armadas e polícia no Rio tem nove presos e dois menores apreendidos


Segunda fase da operação de segurança no Rio começa nas zonas Norte e Oeste
Segunda fase da operação de segurança no Rio começa nas zonas Norte e Oeste Foto: Gabriel de Paiva
Carolina Heringer

O secretário de Segurança do Rio, Roberto Sá, informou, durante coletiva de imprensa realizada na manhã deste sábado, que nove pessoas foram presas e dois menores apreendidos, durante a segunda fase da operação de segurança no Rio nos Complexos do Lins e Camarista Méier, da Covanca e no Morro São João. Dois suspeitos morreram durante a ação, que conta com quase 5 mil homens das Forças Armadas, Forna Nacional, polícias Civil, Militar, Federal e Rodoviária Federal.

Na ação, foram apreendidas três pistolas, quatro granadas, três radiotransmissores, uma moto e 16 carros. Foram cumpridos ainda nove mandados de prisão contra criminosos que já estavam atrás das grades.

– Nossos objetivos de mandados de prisão e busca estão sendo cumpridos, respeitando e sem colocar em risco a segurança dos moradores. Basta ver que dois morreram em confronto, um com a polícia civil e com a policia militar. Nenhum civil foi ferido. Temos que aprender de atuar assim – afirmou o secretário de Segurança, durante coletiva no CICC, na Cidade Nova, onde representantes de todas as instituições envolvidas na operação estão acompanhando e orientando os desdobramentos da ação.

Roberto Sá negou que a operação tenha vazado e atribuiu o baixo número de armas apreendidas ao fato de os criminosos não terem mais paióis de armas nas comunidades

– A logística hoje é diferente – alegou o secretário.

Questionado sobre o porquê da escolha das comunidades para realização da segunda fase da operação, Sá afirmou que o motivo foi a conclusão de uma investigação pela 26ª DP (Todos os Santos), com mandados de prisão e de busca e apreensão expedidos, os ataques a policiais e viaturas no Complexo do Lins e os roubos de cargas na região.

O valor gasto com a operação não foi informado.

– Não se mede uma operação por seu valor. Você não vai compara custo com resultados – alegou o general Carlos Alberto Santos Cruz, da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp).

A segunda fase da operação, batizada de Onerat, começou por volta das 4h30m deste sábado. A Secretaria de Segurança informou, em nota, que policiais civis e militares estão vasculhando vários pontos nos complexos do Lins e Camarista Méier, na Zona Norte; no Morro São João, no Engenho Novo, também na Zona Norte; e no Morro da Covanca, em Jacarepaguá, na Zona Oeste.

As Forças Armadas estão responsáveis pelo cerco em algumas dessas regiões e baseadas em pontos estratégicos. Algumas ruas foram interditadas e os espaços aéreos estão controlados para aeronaves civis nas áreas sobrepostas aos setores de atuação das Forças Armadas. Não há interferência nas operações dos aeroportos.


Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>