Arbitragem atrapalhada, gols anulados, cachorro em campo, show de Alex. A partida entre Corinthians e Coritiba, na noite deste sábado, em Itaquera, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro, foi repleta de atrativos. No final, um resultado que não agradou nenhuma das equipes. Com gols de Robinho e Alex, para o Coritiba, e Elias e Bruno Henrique, para o Corinthians, o duelo terminou empatado em 2 a 2.A torcida do Corinthians se animou aos 15 minutos do primeiro tempo, quando o árbitro assinalou pênalti de Wellington sobre Luciano. Pouco depois, contudo, o juiz conversou com os assistentes adicionais e voltou atrás na marcação, para desespero dos alvinegros. O jogo demorou para recomeçar depois do lance polêmico, e também porque um cachorro invadiu o gramado.Aproveitando o momento de instabilidade do Corinthians, o Coritiba abriu o placar. Aos 25 minutos do primeiro tempo, Robinho recebeu na área, brigou com Cássio, escapou do goleiro e chutou para o gol. Atordoado, o time da casa levou o segundo. Aos 31 minutos, Alex, o nome do jogo, acertou um belo chute, sem chances de defesa para Cássio.

No início do segundo tempo, o Corinthians esboçou uma reação. Logo aos 35 segundos, Romero foi lançado na direita da área, dominou muito bem e bateu cruzado: Elias tocou na bola e colocou na rede. Instantes depois, o Coritiba teve um gol de Welinton anulado: o juiz apontou falta do atleta sobre Luciano. No primeiro tempo, o árbitro também invalidou um gol de Anderson Martins, marcando impedimento.

No resto do confronto, o Corinthians ainda tentou estabelecer uma pressão, e o gol de empate saiu nos acréscimos. Após cobrança de escanteio, no último lance do duelo, Bruno Henrique cabeceou com firmeza para igualar o marcador. O resultado deixou bem mais aliviada a torcida do Corinthians. É o segundo jogo seguido que a equipe alvinegra consegue o empate no fim: o clássico contra o Palmeiras teve desfecho semelhante.

Com a igualdade, o Corinthians chega aos 54 pontos, na sexta posição, empatado com o Atlético-MG, que está em quarto e joga ainda neste domingo, contra o Atlético-PR. Já o Coritiba soma 34 pontos e perde a chance de sair da zona de rebaixamento.

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, o Corinthians faz clássico diante do Santos, no outro domingo, novamente em Itaquera. Já o Coritiba vai encarar o Fluminense, no sábado, no Couto Pereira.

Alex brilha mais do que Jean Pierre

Alex brilhou na noite deste sábado na Arena Corinthians© Gazeta Press Alex brilhou na noite deste sábado na Arena Corinthians
Diante de um adversário que certamente estaria retrancado, Mano Menezes sacou o meio-campista marcador Petros e colocou o atacante Malcom. No meio, Jadson deu lugar a Danilo, responsável por se revezar com Renato Augusto na chegada à área. A retranca, no entanto, não era a mais convencional.

O Coritiba se fechava com três zagueiros e congestionava o meio de campo com cinco homens. Alex e Joel, porém, apertavam a saída de bola do Corinthians, forçando chutões justamente para a área ocupada por quase todos os jogadores da equipe visitante.

Mesmo assim, empurrado por sua torcida, o time da casa teve bons momentos no início do jogo. Poderia ter aberto o placar se Luciano tivesse dominado passe de Renato Augusto que o deixaria na cara do gol. Do outro lado, Carlinhos cruzou da esquerda, e Ivan só não marcou porque chutou fraquinho.

Aos 14 minutos, começou a irritação alvinegra. Em jogada bem trabalhada por Renato Augusto, Uendel cruzou da esquerda. Luciano perdeu no alto para Welinton e caiu. Bem colocado, Jean Pierre Gonçalves Lima não só apitou o questionável como explicou imitando o empurrão que teria visto.

Quase um minuto depois, avisado certamente por alguém que não tinha a sua visão privilegiada do lance, o gaúcho desfez a própria anotação. Um cachorro invadiu o gramado, para delírio da torcida, que pedia: “Pega”. Quatro minutos mais tarde, o jogo foi reiniciado.

Logo na sequência, Renato Augusto bateu falta, e Anderson Martins balançou a rede. O lance foi bem anulado por impedimento, o que aumentou a revolta dos torcedores. Já mostrando algum descontrole e desorganização, o Corinthians começou a ceder espaço fatal a Alex.

Aos 23, o craque girou na meia-lua e errou por pouco. Aos 24, deixou Robinho na cara do gol. Como o claro impedimento não foi visto – nem um minuto depois, com qualquer recurso -, o meia finalizou a primeira, parando em Cássio. O rebote se ofereceu, e ele abriu o placar.

A desorganização alvinegra ficou ainda mais clara e permitiu que a vantagem fosse ampliada aos 31. Bruno Henrique e Elias não se entenderam na marcação. Jael fez o pivô para Alex, que bateu de novo da região da meia-lua. Desta vez, acertou o canto direito de Cássio.

Gol no começo e no fim do segundo tempo

Como o Corinthians seguiu mal distribuído em campo e nada fez até o intervalo, Mano mexeu no time, trocando Malcom por Romero e fixando o paraguaio no comando do ataque. Danilo passou a jogar aberto, e ao menos a equipe passou a ter um posicionamento mais definido.

Antes que isso ficasse claro, a desvantagem já havia diminuído. Aos 30 segundos da etapa final, Romero mostrou grande habilidade para dominar um chutão de Bruno Henrique, sair na cara de Vanderlei e bater para o meio da pequena área. Elias entrou com bola e tudo.

Pouco depois, a arbitragem voltou a buscar o protagonismo, quando Bruno Henrique vacilou após cobrança de escanteio do Corinthians. Alex partiu sozinho, à Diego Souza, e avançou até a meia-lua, onde parou em carrinho de Cássio. A falta foi dada, por suposto toque de mão, e retirada dois minutos depois, após muito bate-boca.

Juiz à parte, a torcida se animou com a volta alvinegra do vestiário. Luciano bateu por cima em um lance na área, Renato Augusto obrigou Vanderlei a trabalhar em chute de fora. Aos 12, claramente pressionado pelos corintianos, Jean Pierre Gonçalves Lima anulou gol de cabeça de Welinton por suposta falta em Luciano.

O Corinthians se impôs no campo de ataque, apertando em busca do empate. Romero, que havia entrado bem, trabalhou com Elias, que bateu fraco. Logo em seguida, Romero subiu sozinho após cobrança de escanteio da direita e desperdiçou a chance clara mandando por cima.

A esta altura, o Coritiba já tinha Sérgio Manoel e Zé Love nos lugares de Hélder e Robinho. Alex também sairia. Já sofrendo com a zaga exposta, Mano abriu ainda mais o time alvinegro, com Gustavo Tocantins na vaga de Luciano, que sentia dor, e Jadson na de Anderson Martins. Bruno Henrique virou zagueiro.

A desorganização alvinegra tinha voltado com força, apesar da disposição demonstrada pelos jogadores na busca pelo empate. Os donos da casa bateram e voltaram até os 49 minutos, quando Uendel bateu escanteio da esquerda. Bruno Henrique ganhou pelo alto e cabeceou no canto esquerdo.

FICHA TÉCNICA:
CORINTHIANS 2 X 2 CORITIBA

Local: Estádio de Itaquera, em São Paulo (SP)

Data: 1º de novembro de 2014, sábado

Horário: 21 horas (de Brasília)

Árbitro: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)

Assistentes: José Javel Silveira e José Eduardo Calza (ambos do RS)

Público: 28.099 pagantes

Renda: R$ 1.601.342,50

Gols: CORINTHIANS: Elias, a 1, e Bruno Henrique, aos 49 minutos do segundo tempo; CORITIBA: Robinho, aos 24, e Alex, aos 31 minutos do primeiro tempo

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Gil, Anderson Martins (Jadson) e Uendel; Bruno Henrique, Elias e Danilo; Luciano (Tocantins), Renato Augusto e Malcom (Romero)

Técnico: Mano Menezes

CORITIBA: Vanderlei; Luccas Claro, Leandro Almeida e Welinton; Ivan, Hélder (Sérgio Manoel), Rosinei, Robinho (Zé Love), Alex (Gil) e Carlinhos; Joel

Técnico: Marquinhos Santos